RITUAL – Cazuza

Sabe aquele dia em que você se pergunta sobre a razão de tudo?  Está nele hoje?  Se for pra se inspirar com música, que seja com o Agenor de Miranda Araújo Neto. Ih, não sabe de quem eu estou falando? Sabe, sim. Dele mesmo: Cazuza. Põe pra tocar aí enquanto você lê o texto a seguir!

Então, dificilmente você vai discordar do “Caju” (como era carinhosamente apelidado) quando ele diz que a vida é louca e leve ao mesmo tempo, porque já que não a podemos levar, ficamos a espera dela pra que a mesma leve a gente.  Exageradamente os problemas virão, e raramente saberemos como lidar com eles. Se soubéssemos o que fazer sempre, não haveria graça alguma. E quem mais trouxe graça a essa vida foi ele, nos deixou composições maravilhosas, que conseguem despertar os melhores e piores sentimentos.

Todos nós temos sonhos vendidos, ilusões perdidas, corações partidos e muito mais. Mas com ele, aprendemos a lidar com tudo isso também. Sabe aquele sol que sai de vez em quando? Pois é, dispara contra ele, mostra que você é forte, que é o cara. E se em algum momento você se sentir fraco, cansado, lembre-se de que ainda estão rolando os dados

Isso é a vida, isso é viver! Cair e levantar, rolar, questionar, brigar, rir, beber, chorar, espernear, gritar! Gritar! Gritar! O amor? Você já sabe que é inventado. Toca esse barco e, pode desperdiçar esse seu mel.

No final, quando você parar pra pensar, vai ser pra reunir as boas lembranças de uma vida bem vivida, e pra ver que o futuro pode não ter sido repetido, o que vai te animar e perceber que a vida é tão desconhecida e mágica, desprevenida e exata, que um dia acaba.

 

Tagged with: