Iria Braga: Olhos e ouvidos abertos

Iria Braga! Esse é o nome da voz que ecoa sem parar, quando a escutamos, sem preconceitos, sem expectativas, sem nada…

Despi-me de tudo (inclusive roupas) ao parar pra escutar a esse som peculiar. A princípio, soou como qualquer outro som da moderna MPB, algo que poderia ser muito bem feito e embalado pela Roberta Sá, Maria Gadú, Mariana Aydar e outras, mas trata-se de uma proposta mais crua, de alguém que está mirando – despretensiosamente – o anti-anonimato.

Falo da curitibana Iria, que puxou à Marjorie Estiano, ao Teló, Lissah Martins (ex-Rouge) e à Karol Conka, esse jeito curitibano de ser. Qual o jeito? Atrevo-me a classifica-los como mineiro-paulista-carioca, pois comem quietinhos, com modernidade e malandragem.  Braga começa a despontar como mais uma das promessas da nova MPB (dedos cruzados!).

Influenciada (notavelmente) por várias das musas da música brasileira, é (contraditoriamente) em Cartola, que Iria Braga se inspira e consegue, com seu recente single “Peito Vazio”, alcançar esse status digno de audição e faz com que tenhamos curiosidade em saber mais sobre essa nova cantora.

Então, inspirem-se com a música, peguem a primeira taça que virem pela frente, derramem um bom vinho dentro, e se deem de presente esse descanso e desfrute, ao som da moça.


Tagged with: