Eu e Northern Star

O ano era 1999. Eu tinha apenas 12 anos. E ela veio arrasando quarteirão. Ao lançar o primeiro single oficial da sua carreira solo Goin’ Down ninguém podia imaginar o que viria a ser o primeiro disco da Melanie C. Toda imagem que tinhamos dela durante o auge das Spice Girls entre (1996-1998) foi por água abaixo quando vimos um visual repaginado e uma sonoridade acoplada à uma atitude rock’n’roll que deixou todo mundo de queixo caído.

Minha experiência com o álbum Northern Star é quase um orgasmo múltiplo.

Me recordo quando eu encomendei o álbum e meu pai me trouxe escondido. E eu decepcionado por ter achado que a encomenda não havia chegado. Naquele momento um misto de sentimentos aconteceram. Ela sempre foi a minha favorita das Spice Girls mas a carreira solo ganhou um lugar especial, quase um altar, na minha vida.

Logo na primeira faixa, na primeira frase de Go! ela canta “I’ve gotta go find another direction” (Tenho que ir encontrar uma outra direção). Foi isso o que ela fez. Encontrou e a cada faixa uma surpresa deliciosa. Northern Star é um álbum atípico. Em grande maioria dos discos de qualquer artista que seja sempre tem aquelas faixas que a gente avança. Pular qualquer uma das músicas desse álbum é um desperdício sonoro.

Live your life without regret (Viva sua vida sem arrependimentos), ela canta em Northern Star. A faixa tem uma letra poderosa. Do início ao fim. Goin’ Down é intensa. Energizante. Acho que ouvi tanto essa música que num determinado momento negligenciei ela e deixei de lado, mas depois de ter assistido em Londres um do shows da Melanie o amor retornou. Também me lembro da Sabrina, no Disk MTV apresentando tantas e tantas vezes o clipe. A versão de I Turn to You do álbum é diferente da que a Mel lançou como single e é especial. Tem um ar misterioso. A versão remix conquistou pistas e o #1 na Inglaterra, em 2000.

If That Were Me é deliciosa e Never be the Same Again dispensa qualquer apresentação. Why talvez seja uma das melhores músicas de toda a carreira dela. Chego a perder o ar, tem ápices de euforia na música que eu ainda não consegui superar! haha  Suddenly Monday tem uma batida tão gostosa. Soa até bobinha e infantil mas é do tipo de música para começar bem o dia! Ga Ga traz de volta o baixo, a guitarra: Dark thoughts need satisfaction (Pensamentos obscuros precisam de satisfação). Be the One traz uma Melanie acústica que viria apontar o que a carreira solo dela traria novamente alguns anos adiante. Closer e Feel the Sun encerram o álbum com primor. Só quem ouve com o coração consegue captar a essência.

A ideia aqui não é fazer uma review do álbum, apesar de ter mencionado todas as 12 faixas logo acima. Mas, brevemente, tentar transmitir a minha relação com essas faixas.. Eu poderia ficar horas e horas falando sobre cada uma delas.

Há quem diga que esse álbum é o melhor produzido e melhor da carreira solo de uma das Spice Girls. Eu concordo. Tudo que você espera de uma Spice Girl você não vê nesse álbum (musicalmente falando). Muito maduro, pouco clichê, desbravando novos caminhos e, ao mesmo tempo, sofisticado. Neste ano o álbum completa 16 anos e é tão contemporâneo que, ao ouvi-lo, parece que foi ontem que foi lançado.

Northern Star é um álbum que inspira e pira.

Ouça o álbum no Apple Music.

Tagged with: