Álbum: Natalie Imbruglia – Male

Natalie Imbruglia: pra muitos a eterna one hit wonder que imortalizou Torn (que é um cover!) em meados de 1997/1998; pra outros um dos mais puros vocais subestimados do pop “adulto”. Ora, quando seu maior hit é um cover, e muita pouca gente sabe disso, fazer um disco inteiro de covers de musicas com vocais originalmente masculinos não é lá má ideia.

A faixa de abertura Instant Crush, originalmente de Daft Punk e Julian Casablancas, com elementos robóticos e vocais graves, na versão de Natalie ganhou uma suavidade que parece de fada cantando pra criança, apesar da letra sentimental e depressiva. Simplesmente esplêndida! Cannonball, originalmente de Damien Rice, não apresenta mudanças drásticas, é apenas uma versão (ora, quatrocentas mil pessoas já regravaram essa música), mas mesmo assim apreciável. Friday I’m in love, originalmente de The Cure, ganhou uma pegada mais folk.

Este álbum é perfeito pra quem aprecia uma suavidade e uma delicadeza de vocal feminino sem muito potencial evidenciado. Natalie Imbruglia deixa tudo bem natural. E mesmo que você não conheça a canção original, a doçura inclusa em cada canção faz você ouvi-la sem nenhuma pretensão. No meu caso, por exemplo, não conhecia a versão original de Let My Love Open Door (de Pete Townsend), mas me ganhou à primeira escuta. Perfeito pra ouvir em casa num domingo á tarde preguiçoso, na estrada ou tomando um café. Não espere nada pra sair dançando, obviamente!

Veredicto: 65/100

Faixas que você tem que escutar senão estará perdendo tempo de vida: “Instant Crush”, “Cannonball”, “Friday I’m in Love”