NX Zero – Norte

Minha relação com NX Zero vai lá em 2005. Meu primeiro show deles e eles ainda nem tinha assinado contrato com gravadora. Estavam na fase do Apenas um Olhar e Tarde Demais, do álbum Diálogo.

De lá para cá foram mais de 70 shows que estive presente! Sim! 70! Sendo que 80% entre 2005-2008. E quanto mais sucesso a banda fazia, mais difícil era conseguir ir nos shows, até mesmo pela frequência de shows deles que caiu na cidade para atender a demanda das outras cidades desse nosso país – consequência do sucesso.

11755281_1108760355805283_7536531235508981365_n

E nesta noite foi lançado o sétimo álbum da carreira, o Norte. E já vou abrir a resenha dizendo: OUÇA!

Não sou crítico musical. Vou comentar a minha relação com o álbum e com tentar deixar o lado fã que tinha uma certa expectativa sobre o trabalho.

Há algumas semanas o NX já estava divulgando, a cada semana, uma nova faixa do novo álbum para criar um buzz a cerca do lançamento e a primeira faixa divulgada, nessa estratégia, foi justamente a faixa que abre o álbum. Modo Avião traz um NX Zero já querendo experimentar. Já mostrando o que se esperar do disco. Lembra Gorillaz e traz uma letra cheia de significados e provoca reflexão, assim, logo na primeira faixa. O disco segue com o single Meu Bem, que vem sendo tocada nas rádios e que segue trazendo uma nova perspectiva de som da banda e que tem agradado por trazer uma sonoridade mais adulta. Além de parecer bem autoral (se não for).

Mandela é uma das melhores do novo trabalho. “Às vezes dá vontade de sumir… Mas sumir é fugir … É como enganar a verdade...”. Outra faixa experimentando um som novo para a banda e eles acertaram mais uma vez em cheio.  A quarta faixa Fração de Segundo já não me agradou. Destoou das anteriores e parece que foi colocada só pra preencher. Mas o ritmo voltou em Por Amor que certamente está no TOP 3 das melhores do disco! Tudo nela chama atenção. O baixo do Caco, a voz ritmada do Di e a letra cheia de revolta: “Fica em casa e bate uma de domingo a domingo… Quero ver dar a cara a tapa e fazer o que gosta…Ao invés de ficar na net escrevendo bosta…Se mostra o jogador mas só esquenta o banco..Diabo escondido em roupa de santo”. Nem precisa dizer mais nada!

Baixando um pouco o ritmo da faixa anterior, mas nem por isso sendo ruim, a sexta música Personal Privê também é deliciosa! Traz uma sensualidade implícita que traz toda uma atmosfera que te transporta para dentro dela! Perfeita! Mas aí vem VIBE com um refrão pobre e que seria uma daquelas faixas que facilmente seriam descartadas. Que pena, mas acontece. O problema é que abre uma sequência de faixas fracas, mas que podem ser executadas ao vivo e ver se terão uma sobrevida: Pedra Murano, Breve Momento e Gole de Sorte.

Ao escolher Milianos e Marcas de Expressão para finalizar o álbum, a banda foi muito feliz. Antes comentei que Por Amor estaria no TOP 3, justamente sendo completado por essas duas últimas faixas. As melhores! Milianos vem carregada de uma realidade que estava fazendo falta. “Fácil ter coragem com uma arma na mão, Mas essa arma só atira balas de ilusão”. Sobra até para o Senado! Atual, direta, sem medo. E, por fim, Marcas de Expressão que nos faz refletir sobre nossas experiências de vida. Suas marcas de expressão são os reflexos da sua alma? Pra pensar…

O reflexo da alma deles, nesse álbum, é justamente colocar pra fora o que eles vivenciaram nestes últimos três anos sem lançar nenhum álbum e, principalmente, voltando às raízes do independente. Independente significa experimentar mais, não se prender aos padrões e ousar. E isso eles fizeram e não deixam à desejar em nenhum momento.

O Norte que eles escolheram para o disco, salvo pequenas exceções, não poderia ter sido melhor! Fãs antigos poderão se surpreender. Aquele que torcem o nariz, precisam rever o conceito e experimentar. Aos meninos: Well done! Tá no repeat!

Nota: 90/100

Ouça o álbum:

 

 

Tagged with: