Segundos álbuns decepcionantes!

Recentemente, fizemos uma lista com os primeiros álbuns que não foram tão bons quanto os restantes, e agora trago para vocês – depois de um sofrimento pra escolher – álbuns de algumas artistas que tiveram bons desempenhos [e aceitação] em seus primeiros álbuns, mas conseguiram decepcionar, por algum motivo, nos segundos.

Por razões diversas, alguns cantores fazem um puta sucesso no primeiro álbum, ao ponto de criarem alta expectativa em relação ao segundo. E isso, pode ser algo bom e/ou ruim para os mesmos, o caso dos álbuns que virão a seguir é bastante delicado, estão prontos?

Jessie J – Alive

 

Depois do estrondoso sucesso de seu primeiro álbum (Who You Are), a cantora Jessie J nos apresentou o sucessor, Alive.

A proposta da cantora era trazer um som mais maduro e que representasse o momento da vida dela na época do lançamento, mas a mesma deveria saber que essa coisa de amadurecer o som não pode acontecer no segundo disco.

Apesar de ter contado com grandes nomes na produção do álbum (Stargate, Max Martin, Claude Kelly, Sia), o álbum não agradou os fãs e admiradores de seu talento, que rapidamente passaram a dar menos credibilidade à cantora.

Pussycat Dolls – Doll Domination

 

Em 2008, as donas do mega hit Don’t Cha o segundo álbum da banda, Doll Domination.

Dentre os produtores estavam Timbaland, Pollow Da Don, Danja e outros que costumam se envolver em grandes trabalhos da música pop. Mas isso não foi suficiente para fazer do álbum algo que fosse garantir a estabilidade das garotas no mercado fonográfico.

O álbum trouxe canções que não foram aproveitadas do esquecido e não lançado álbum solo da gananciosa Nicole Scherzinger (Her Name Is Nicole), o que já não deveria ter acontecido.

Apesar de vários singles lançados e do relativo sucesso, não chegou aos pés em vendas, nem em curtidas, do primeiro álbum das meninas, que ainda tentaram algo com um relançamento do mesmo, mas a merda já estava feita.

Mariah Carey – Emotions

 

A Mariah é uma das únicas cantoras que se encaixam perfeitamente em qualquer lista, sendo ela boa, ruim, péssima ou maravilhosa.

Mas após a maravilhosa recepção da crítica e da alta vendagem que conseguiu com seu primeiro álbum (Mariah Carey), esperaram tanto pelo segundo, que por algum ou nenhum motivo, ficaram desanimados.

Com apenas um dos produtores de seu primeiro álbum, Mariah trouxe em Emotions um som influenciado pelo gospel, R&B, soul e pop – o que sempre fez – mas não foi suficiente para agradar a massa.

O álbum vendeu menos que o esperado e teve um sucesso muito limitado no restante do mundo, o que fez com que a gravadora (Columbia) encerrasse a promoção do mesmo.

Evanescence – The Open Door

 

A cantora Amy Lee tinha tudo para segurar a onda com o segundo álbum de sua banda (Evanescence), mas ela resolveu amadurecer o som, o que acabou tornando o trabalho menos popular e mais obscuro.

Sua voz suave atrelada ao som pesado, que em seu primeiro álbum (Fallen), fez com que eles vendessem milhões de discos e liderassem paradas ao redor do mundo, não foi o bastante para fazer do segundo álbum um álbum melhor que o da estréia.

Prova disso é que mal conseguimos lembrar de um single do The Open Door.

Mas nem sempre, os artistas que frustram com o segundo álbum, desistem ao ponto de apresentar um trabalho qualquer no terceiro, muito pelo contrário, temos artistas nessa lista que trouxeram um terceiro ainda melhor que o primeiro.

Então, algumas delas até conseguiram superar a maldição do segundo álbum, outras nem tentaram. E olha que essa lista poderia ter sido imensa, se vocês souberem de mais algum segundo álbum ruim, avisem!

Ainda bem que a grande maioria nem precisou se preocupar com isso…