Azealia Banks: Deem ouvidos a essa voz!

Azealia Amanda Banks.

Nascida no Harlem em Nova York, perdeu seu pai logo cedo e passou a sofrer abusos de sua mãe, sendo forçada a sair de casa aos 14 anos. Azealia Banks como é mundialmente conhecida tem apenas 24 anos e é um dos talentos mais promissores da atualidade.

Azealia é cantora, rapper, compositora, atriz, produtora musical, negra, bissexual, ativista. Poderia não precisar citar o fato dela ser negra, muito menos falar sobre sua sexualidade e gênero, mas no caso de Azealia devemos citar sim.

Pois bem, por seu ativismo, sua luta por direitos iguais entre gêneros, direitos iguais entre a mulher branca e a mulher negra por exemplo.

Em um de seus discursos mais ‘polêmicos’ ela diz:

“Ao longo dos últimos anos, Nicki fez muito para criar esta presença social… Lançando o ‘Roman Reloaded’. Aí vem a merda da Iggy com o ‘Reclassified’. É um borrão cultural e quando eles entregam esses prêmios, dizem às crianças brancas que elas podem fazer o que quiserem, ser o que quiserem e aos negros dizem que tudo o que eles fazem não vale nada e isso me incomoda”

Exagerado? Talvez.

Mas reacendeu e esquentou (estava bem frio) o debate sobre a apropriação cultural (falaremos mais sobre isso futuramente). Seus comentários sobre outros artistas ou outros profissionais do ramo, mais parecem ataques gratuitos.

Mas felizmente não são, Azealia Banks é aquela voz que não quer calar. Que não pode ser calada, jamais. Uma das poucas que sabe do que fala por ter vivenciado, suas letras, suas rimas e até suas críticas tem fundamentos e verdades.

“Todo mundo (blogs/sites) publica uma matéria quando eu discuto. Mas ninguém publica algo quando canto ou faço freestyle. Eles querem me manter para baixo. Se eu fosse um homem as coisas seriam tão diferentes. Ou se eu fosse branca ou com pele mais clara isso seria diferente. Homens e mulheres com pele clara têm mais espaço para aproveitar. Violência doméstica, porte de drogas, tráfico de armas… Todas essas coisas os rappers masculinos podem fazer e mesmo assim são aceitos perante os olhos do público. Se eu tenho algumas opiniões, sou a pessoa mais horrível do mundo. Vou só ali clarear a minha pele, já volto (ironia)… Mas sério, o fato que as pessoas SABEM do meu talento apesar da mídia suja é uma prova da minha força e durabilidade. Fui construída forte para durar muito. Isso também prova que a minha fã-base é cheia de pessoas com nível elevado, inteligentes, pensadoras e legais.”

Azealia Banks: Não a subestime. Muito menos faça pouco de seu talento, de seus trabalhos, afinal ela já mostrou e a gente já entendeu que, ser uma mulher negra, rapper e ter opiniões fortes nesse meio em que ela vive não é nada fácil.

Tagged with: