Tocando por aí: Leo Justi

Ele está inserido na cena eletrônica carioca/nacional como um dos ótimos produtores do ramo. Filho de músicos, Leo Justi  vem quebrando tudo com suas produções que misturam o funk carioca a batidas e influências de eletrônicas.

Segundo ele, em suas veias rola uma mistura de Radiohead, Guinga, Missy Elliot e Bonde do Tigrão. #eita

Leo começou a estudar violino aos 8 anos, estuda produção fonográfica e é guitarrista. Mas o negócio dele é a música eletrônica, tanto que trocou a guitarra por programas como Ableton Live e Reason, pra compor, e Ableton Live, Virtual DJ ou CDJ, pra discotecar.

Querem ouvir um musicão com ajuda dele na produção?

Pro verão desse ano – que tem a promessa de ser o mais quente da história – Justi trouxe não só uma faixa quente, como um clipe pegando fogo!

A faixa Vira a Cara ganhou um clipe gravado num dos bairros mais requintados do Rio… #sqn

Na Vila Mimosa, conhecida por ser uma zona de prostituição de garotas e clientes pobres e por movimentar, ao mesmo tempo, cerca de R$1 milhão por mês, segundo boatos.

Verdade ou não, para poder gravar o clipe lá, ele teve que desembolsar uma grana, pois teve que pagar não só pela produção, mas a prefeitura, aos policiais e, pasmem, aos traficantes.

Vamos nessa?

Se quiserem ir além, tem link pra escutar a mixtape Heavy Baile aqui ó:

Heavy Baile