O indie pop da Ashlee Simpson! #inspira

Dando adeus ao mês de outubro, onde tudo ficou rosa, e no final escurecemos com a comemoração do Halloween, trouxemos pra você um álbum que fez 10 anos de lançado também nesse mês. Lá em 2005, a Ashlee Simpson ainda estava no mainstream, e lançava seu segundo álbum: I Am Me

i-am-me-4de39b94bda0e

Num mix de música pop, rock, eletrônica e indie pop, a cantora mostrou seu amadurecimento musical em composições próprias. E trouxe no mesmo, músicas que podem ser escutadas em qualquer momento da vida.

A começar pela animada Boyfriend, que traz uma pegada Joan Jett bem cool:

Seguindo essa vibe mais animada, temos também a catchy L.O.V.E.

E se você acha que não vai cortar os pulsos, Ashlee nos faz chorar com Beautifully Broken e Catch Me When I Fall, que traz a melancolia teen existente em algumas faixas da Avril Lavigne e cia.

Em Dancing Alone, ela traz um vibe setentista que faz com que a gente sinta essa vontade de dançar mesmo, seja com alguém ou sozinho!

Eis que num show de auto estima, a moça apresenta a faixa que deu título ao álbum, I Am Me. Essa dispensa comentários, só escutando…

Já no final do álbum, ela traz músicas que poderiam ter sido clássicos do rock, se gravadas pelas grandes bandas do mesmo. Eyes Wide Open e Say Goodbye são músicas maiores que a própria Ashlee, dá até pra imaginar uma voz roca masculina (Eddie Vedder, Chris Cornell, Chad Kroeger) a acompanhando nessas tracks.

O sobre o próximo mês e final do ano, a gente deixa com vocês o single que não esteve no álbum, mas por ter sido lançado na época do mesmo, é considerado uma das faixas do I Am Me, Invisible.

Não importa o que vai aparecer pela frente, e nem o que os outros vão falar de você, se nos ensinaram que na vida, nem tudo pode ser como a gente quer, consequentemente não pode ser como todos querem também!

Então, vem com a gente nessa!