Um acústico inesquecível!

Falar sobre essa banda, é remexer em sentimentos que foram guardados, e provavelmente nunca serão colocados pra fora novamente. Um grito de uma geração que se calou com o suicídio de um dos cantores mais instigantes e angustiantes do mundo!

big_thumb_425b06b12627b9f8730857ba4459c4ba

 

Mas aqui estamos, para relembrar a gravação de um álbum que só foi lançado após a morte do vocalista Kurt Cobain. Com um show gravado em 18 de Novembro de 1993, a banda americana Nirvana, deixou-nos um presente e tanto: MTV Unplugged in New York

 

1035x1035-nirvana-1800-1397054711

 

Dentre todos os álbuns póstumos lançados pela banda, esse é o que tem o melhor desempenho, e ainda é um dos álbuns póstumos que mais venderam na história.

O show foi gravado em meio à uma fase turbulenta pro Kurt, na época, ele enfrentava uma guerra com a mídia e com ele mesmo. Ele ficou tenso com a ideia de ter que se acalmar e fazer um show totalmente acústico, tanto que os dois dias de ensaio foram difíceis por vários motivos:

  • foram apresentadas músicas menos conhecidas pelo público;
  • a MTV estava descontente com os convidados da banda;
  • Kurt estava sofrendo de abstinência de droga;

 

Mesmo assim, Kurt Cobain, Dave Grohl (sim! do Foo Fighters) e Krist Novoselic, foram lá, e mandaram ver! Dentre os melhores resultados desse álbum, destaco o fato de eles terem feito um cover magnífico do David Bowie:

 

 

Como vocês puderam ver, o palco foi decorado como lírios de Stargazer, velas pretas e um lustre de cristal. Ideia do próprio vocalista, que afirmou ter pensado num funeral, dando indícios de que já estava pensando em algo do tipo..

MTV Unplugged: Nirvana

 

A banda conseguiu gravar o show inteiro em um único take. Foram quatorze músicas e seis versões covers, e um hit não foi esquecido:

 

 

Depois que a gravação terminou, Cobain chegou a discutir com os produtores que queriam um bis, mas ele se recusou, alegando que não ficaria tão perfeito quanto antes.

O que importa é que nós curtimos, e muito! Vamos ouvir?