As Séries e a Música: De Glee à Empire

Já tratamos aqui de canções que viraram temas de novelas e como é importante para uma história ter uma música. Hoje falaremos da relação entre as séries e a música.

Afinal, se respiramos, vivemos a música, porque com os personagens da TV seria diferente?

Em alguns casos até viram tema central do seriado, consequentemente fazendo dela um fenômeno.

De glee à Empire

Quem aqui nunca ouviu falar (ou já acompanhou) Glee?

A série criada e produzida por Ryan Murphy, Brad Falchuk e Ian Brennan, levou a música nos seriados americanos a outro nível. Até então raridade, a série fez ações de marketing em diversas fontes, fazendo dela um verdadeiro sucesso.

A história central se passava em um colégio fictício o William McKinley High School, onde um professor assume a direção do coral e tenta resgatar a tradição musical há muito tempo perdida.

A partir daí, reúne um grupo de estudantes com talento para a música e inicia as atividades – e inicia assim as atividades fora da TV. Nos episódios que se seguiam os alunos faziam alguns covers de músicas famosas (estima-se que mais de 525 versões).

Mas as atividades não se restringiam só nesse ponto. A Fox (TV responsável pela série) e a Columbia Records via potencial nas gravações. Resultou assim em números impressionantes:

  • 15 álbuns de estúdio (um ao vivo);
  • 32 EP’s;
  • 460 Singles.

Um de seus EP’s, o Glee: The Music, The Power Of Madonna debutou em primeiro no Billboard 200, o Glee Cast ainda obteve um recorde histórico nos charts dos EUA: 207 entradas no Hot 100. Todo esse porte, esse poder, em apenas 6 temporadas.

No mesmo caminho segue outra série atual: Empire.

Chamada por alguns críticos (insuportáveis, por sinal) de “Glee para negros”, acompanha a vida de Lucious Lyon (Terrence Howard), um rapper de sucesso que saiu das ruas, do tráfico para presidir uma gravadora de sucesso, a Empire. Tudo muda quando Cookie (Taraji P. Henson) depois de 17 anos cumprindo pena por tráfico, sai da prisão e decide retomar seu lugar na empresa.

Criada por Lee Daniels e Danny Strong (e transmitida também pela Fox) a série ainda acompanha dramas familiares do ‘ex-casal’ e seus filhos, Andre (Trai Bayers), Jamal (Jussie Smollett) e Hakeem (Bryshere Y. Gray, o rapper Yazz).

Jussie Smollett e Yazz, entre outros nomes, protagonizam ao longo da série vários números musicais que junto de outras participações e apresentações musicais na série, foram reunidos em uma trilha sonora.

A trilha Empire (Original Soundtrack from Season 1) debutava em 09 de março desse ano em primeiro lugar nas vendas daquela semana. A frente inclusive do Rebel Heart, grande lançamento de Madonna.

After firing Andre, Hakeem, and Cookie, Jamal works on a new song.
After firing Andre, Hakeem, and Cookie, Jamal works on a new song.

Sua produção musical é assinada por ninguém mais, ninguém menos que Timbaland. O sucesso foi tão estrondoso que virou sensação com suas participações especiais: de Pati Labelle à Courtney Love, passando por Jennifer Hudson, Snoop Dog e brevemente Alicia Keys.

Empire ainda acumula recordes de audiência na TV americana: 16 milhões de espectadores em seu episódio final e primeira série em 23 anos a ter seus primeiros episódios em audiência crescente, por exemplo.

As canções ainda não fazem sucesso independentes nos charts por lá, mas sua audiência e sua trilha sonora prova que a relação música e séries de tv só rende bons frutos. E ainda rende discussões e quebras de tabus, no que se trata de uma série protagonizada apenas por atores negros.

A não menos importante nashville

Nashville, capital do Tennessee, EUA. É uma das cidades mais populosas daquele país, famosa por sua forte economia, a cidade ainda sustenta um grande título: A Capital Nacional (e internacional, muito provavelmente) da Música Country.

https://i1.wp.com/www.boxdeseries.com.br/site/wp-content/uploads/2013/05/nashville-ABC-Connie-Britton-Hayden-Panettiere.jpg?w=980

E pra quem não faz ideia, a música country é uma das que mais vendem nos EUA. Revelou nomes como Taylor Swift (que por sua vez é uma das mulheres que mais vendem atualmente).

Nashville então ganhou uma série: também intitulada de Nashville acompanha a história de uma cantora, Rayna James (Connie Britton) que vê sua carreira em declínio e seu caminho cruzado com a problemática Juliette Barners (Hayden Panettiere).

A série não emplacou ainda músicas fora da TV. Mas ganha pontos ao retratar de forma fiel e mais realista possível a realidade semelhante a grandes nomes reais da indústria fonográfica.

o berço de novos nomes do cenário pop

Demi Lovato, Selena Gomez, Jonas Brothers, Miley Cyrus, Hillary Duff, Zendaya. O que esses nomes têm em comum?

https://i2.wp.com/static1.purebreak.com.br/articles/7/82/27/@/43008-olha-a-hilary-duff-ai-toda-novinha-diapo-2.jpg?w=980

Todos eles surgiram de séries voltadas para o público infanto-juvenil exibidas pela Disney em seu canal na TV. Mesmo que nenhum desses nomes tenha sido levados a sério (bem como seus shows na TV) na época em que davam vida a personagens sem graça e infantis, hoje é de se admirar o quanto a TV foi responsável para a construção de nomes que hoje é responsável pela transformação da música pop.

É ainda relevante lembrar o impacto negativo que as séries tiveram na vida desses nomes. O sucesso prematuro, a vida de cabeça para baixo, levaram a alguns problemas com depressão e pânico, hoje completamente superados.

a música em momentos importantes e como um personagem

A música ainda toma um papel importante na série: marcar momentos importantes dos personagens e da própria série e suas reviravoltas.

Algumas outras vezes se transforma em um verdadeiro personagem, quando assim se torna fundamental para história ou para abertura. E não é só de canções que vivem esses momentos.

Os efeitos sonoros e grandes melodias compostas especialmente para algumas cenas merecem aqui todo nosso respeito. São elas que dão a emoção final as cenas seja as engraçadas ou as que nos fazem chorar rios de lágrimas.

E o que falar então de aberturas icônicas?