Música Inspira de olho em Mariana!

O Brasil está vivendo um drama geral, e o pior deles está passando quase que despercebido pela maioria dos cidadãos. Mas há que esteja sofrendo na pele todas as consequências da ganância e impunidade existentes nesse país.

No dia 05 de Novembro (2015), barragem de mineradora se rompeu na cidade de Mariana (MG), e espalharam lama, rejeitos sólidos e água, além de tristeza, dor, desespero e desamparo, por toda a cidade.

E a culpa? Quem vai pagar pelos estragos? 

A mineradora Samarco disse ter registrado dois pequenos tremores na área duas horas antes do rompimento, por volta das 16h20 de quinta-feira. Não se sabe o que teria causado estes tremores – se seriam abalos sísmicos ou a força do próprio rompimento. Em 16 de novembro, a Samarco fez um acordo com o Ministério Público e concordou em pagar R$ 1 bilhão para começar a compensar os danos materiais e ambientais. A Justiça determinou o bloqueio de R$ 300 milhões da empresa para os ressarcimentos. A intenção é fazer com que a empresa repare completamente o dano causado pela lama, com ações como a limpeza, resgate dos animais, reconstrução das casas, entre outros. O Ibama vai multar a Samarco em R$ 250 milhões (atualizado). Se a empresa for condenada a pagar uma indenização coletiva, o dinheiro vai para um fundo destinado a ações de melhoria da qualidade ambiental. A partir disso, os moradores podem pedir uma indenização pelos seus danos pessoais, inclusive, em caso de morte de parentes, podendo até haver pagamento de pensões às famílias das vítimas.

Mas e o que foi destruído, deixado pra trás em meio à lama? Como ressarcir o que não se vê, mas se sente?

“A dor verdadeira é pensar que um lugar em que você viveu a vida inteira não existe mais. Uma cidade histórica. Todo mundo conhecia todo mundo. Perder essa história da minha vida é o que dá mais tristeza. O meu passado ficou enterrado lá. O único lugar que minhas recordações vivem agora são na minha cabeça” – disse lucinéia de fátima

Nossa atual presidente, Dilma Rousseff, sobrevoou de helicóptero as áreas afetadas, sete dias após o acidente. E anunciou que seria aplicada uma multa de 250 milhões de reais à mineradora Samarco, que é controlada pela Vale e pela australiana BHP Billiton. Essa penalidade pode ser seguida por sanções do Estados e municípios afetados, e representa menos de 9% do lucro líquido obtido pela mineradora (2,805 bilhões de reais em 2014).

Mas a avalanche de notícias/constatações ruins não param de chegar nesse país… De cada 100 reais em multas aplicadas pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) desde 2011 para quem infringiu regras ambientais, menos de três reais entraram nos caixas do Governo federal. Os dados constam de um relatório do órgão que é entregue ao Tribunal de Contas da União (TCU) anualmente. Entre janeiro 2011 e setembro de 2015, foram aplicados 16,5 bilhões de reais em punições, por exemplo, a empresas que emitiram gases poluidores acima do limite aceitável, petroleiras responsáveis por derramamento de óleo no mar ou madeireiras que desmataram áreas proibidas, entre outros. Desse valor, apenas 494,2 milhões acabaram sendo efetivamente pagos pelas empresas infratoras. E essa notícia nem é tão nova assim pra gente.

Daí, vocês se perguntam: o que o Música Inspira tem a ver com isso?

TUDO!!

Assim como vocês e todo o restante da população brasileira, que ainda zela pelo país.

Mas isso aqui chamou a nossa atenção:

A banda Pearl Jam (que fez vários shows pelo Brasil há uma semana), anunciou a doação de U$100 às pessoas afetadas pela tragédia. Vale lembrar que, durante o show do dia 20, em Belo Horizonte, Eddie Vedder disse o seguinte:


“Acidentes tiram vidas e destroem rios. E ainda assim eles conseguiram lucrar. Esperamos que eles sejam punidos, duramente punidos e cada vez mais punidos. Para que nunca esqueçam o triste desastre causado por eles.”

Só nos resta saber se esse dinheiro será realmente aplicado nessa causa…

Querem notícias boas?

Mariana recebe mais de 380 toneladas de donativos.

Mariana recebe um caminhão de solidariedade.

Vamos ver o que podemos fazer pra ajudar! Vamos nos informar e cobrar! Os danos por lá são irreversíveis…

“O que foi perdido ali está perdido. A cadeia biológica não será reconstruída. Temos que criar condições [para que haja revitalização da bacia]. Teremos que remediar determinadas áreas, trabalhar com sociedade civil e avaliar [os danos]” – disse a ministra do meio ambiente izabella teixeira

Mas sempre há o que fazer! Sempre há como ajudar, mesmo distante. Nós, do Música Inspira, nos solidarizamos, e estaremos aqui para ajudar a inspirar as pessoas a serem boas sempre!