Tongues. um som da Escócia com emoção e batidas

Conhecer gente nova é muito inspirador. E quando a gente tem a chance de conhecer sons novos então a coisa fica mais legal ainda. Eu poderia viver disso! haha! Ouvir artistas novos e tentar entender o que eles querem passar com a sonoridade que buscam apresentar e dane-se se faz sucesso ou não. O importante é que verdade deles tenha algum sentido e que signifique algo para alguém.

E dessa vez a gente vai lá para Escócia! Vamos apresentar o TONGUES., de Glasgow. O TONGUES. iniciou a carreira sendo um projeto solo do produtor musical Tim Kwant, mas hoje eles se apresentam como um quarteto.

 

 

TONGUES. nasceu a partir de demos gravadas durante 8 meses numa viagem de volta ao mundo feita por Tim. O som que ele tem feito tem sido bastante comparado com trabalhos do Hot Chip, Alt-J e dos, também escoceses, Chvrches.

E a gente conversou com o Tim justamente para conhecer mais o projeto!

  • MI: Tim, o TONGUES. nasceu de uma viagem. Você tava buscando por algo específico? 
    • A viagem era a chance de eu me afastar de tudo e explorar o novo. Eu escrevi, gravei e produzi com pouquíssimo aparato. Tentei me manter tudo de uma forma mais reduzida possível e forçaria a construir algo. Eu escrevi diversas melodias e trabalhei nas que soavam melhor. 
  • MI: Você descreve seu som como um misto de energia pura, crua e um toque delicado de emoção. O que isso quer dizer? 
    • Eu sou um cara emotivo, o que eu posso dizer? Eu sempre vejo a arte como algo que me comove de alguma forma. Se algo é tão frio e polido simplesmente perde sua essência e eu não consigo me conectar com isso. 
  • MI: A gente consegue ver forte influência dos anos 80 nas suas músicas. De onde vem suas inspirações? 
    • Pra ser honesto as minhas inspirações vem de todo lugar. Há um ‘revival’ de elementos dos anos 80 com bandas como Future Islands e Twin Shadow e eu realmente gosto do som dos sintetizadores e como eles estão incorporando isso às suas músicas. O mesmo acontece com Devo e Kraftwerk e artistas mais modernos como Hot Chip e James Blake. 

 

 

  • MI: Que tipo de ambiente você sente que a sua criatividade flui mais e você se torna mais produtivo? Criar é difícil ou um processo natural, fácil? 
    • A coisa flui para mim quando estou em paz comigo. Mas em alguns dias eu preciso trabalhar e forçar. Em outros momentos eu simplesmente não consigo parar de trabalhar, tudo vem de uma vez. Mas eu acredito que funciona melhor quando você deixa as coisas fluírem e não se sinta frustrado quando você sabe que pode melhorar, mas ainda não chegou lá. Tem momentos quando eu vou parar de tentar de fazer algo novo e aí dá um estalo e vejo que tô quase lá. Se eu não consigo compor naquele dia, então vou produzir. Produzir e compor são duas peças criativas que, pra mim, não precisam do mesmo nível de inspiração.  
  • MI: A melhor parte daquilo que você faz é? E o que você quer compartilhar com o mundo através das suas músicas?
    • Pra mim a coisa mais importante é o ritmo e a batida. É o que amarra tudo. Eu acredito que a minha verdade é a beleza e acredito que ela pode verdadeiramente mudar tudo. É isso que quero transmitir, coisas belas! E essa é a minha ambição: criar o belo e compartilhar com o máximo de pessoas possível. 
  • MI: Tim, o que a música significa para você? Como a música te inspira? 
    • A música transcende. Ela pode te levantar e fazer você acreditar que o impossível é possível. Pode te levar à um outro mundo. Pode te fazer voltar no tempo, num determinado momento da sua vida. Quando era mais jovem a música me ajudou a encontrar uma voz e uma identidade. Pode te achar na solidão e te dar esperança. Acredito que ela te alimenta e faz a vida valer a pena. 

O cara nem imagina como essa resposta dele bateu aqui e ganhou o meu coração. Pois é bem isso mesmo!

 

– PERGUNTAS RÁPIDAS – 

  • MI: Em caso de emergência, qual álbum salvaria? 
    • The White Album, dos Beatles. 
  • MI: Música que não aguenta mais ouvir, nem em caso de tortura?
    • Light my fire (Extended Version), do The Doors. 
  • MI: As cinco músicas que está ouvindo agora? 
    • The Moment, do Tame Impala
    • Sleep Sound, do Jamie XX
    • What Went Down, do Foals
    • A Dream of You and Me, do Future Islands
    • Alternate World, do Son Lux
  • MI: Herói musical?
    • Thom Yorke! 

 

Acompanhe o TONGUES. no site oficial deles: http://www.tonguesmusic.com

 

Tagged with: