20 anos sem os Mamonas

Hoje a música brasileira lamenta longos vinte anos da perda de uma das maiores bandas que passaram por nós: os Mamonas Assassinas.

Em um fatídico 02/03/1996 a banda que viria a ser o maior fenômeno musical da época, estava finalizando uma exaustiva turnê pelo país. Em Brasília os meninos realizavam seu último show.

No retorno a cidade natal, Guarulhos – SP, uma neblina espessa, densa, atrapalharia de vez os sonhos e objetivos dos rapazes. Uma sucessão de falhas técnicas unidas a um péssimo tempo, resultou em um grave acidente causando a morte de toda a tripulação incluindo toda a banda.

“Ficamos esperando, de olho naquela bendita porta que se abre, e achei estranho a demora.(…)”
“Pensei: ‘Poxa vida, esse avião vai descer com esse tempo?’ Falei: ‘Ah, vou tirar esse pensamento da cabeça. Isso não é bom’. Pedia a Deus que ele chegasse bem.(…)” Disse Célia Alves, a mãe de Dinho, vocalista da banda, em entrevista ao portal G1.

A banda virou um acontecimento, dominou as rádios e logo estavam em todos os programas de tv. Suas letras viajavam no viés de duplo sentido e ao mesmo tempo faziam críticas a sociedade daquela época.

Em tempos que nada se debatia livremente e tudo era tabu, o grupo reinventou o debate de sexo, sexualidade e amor. Por meio de canções como Robocop Gay, era pregado o respeito pelo diferente.

Jamais existiu em nosso país alguma banda que pudesse fazer algo similar aos Mamonas, sua irreverência, seu talento, sua presença no palco e fora dele jamais foram supridas. Uma perda precoce, sem sentido que sempre iremos buscar entender e da qual lembraremos sempre.

Fãs se despedem dos músicos
Fãs se despedem dos músicos
Tagged with: