A Voz Adorável de Clara Nunes

Nascida Clara Francisca Gonçalvez Pinheiro em 12 de agosto de 1942, Clara foi uma das pouquíssimas vozes femininas a terem força e espaço na música da época. Sabemos que, para a mulher conquistar o espaço que tem hoje, muitas tiveram que brigar lá atrás, Clara foi uma delas.

Foi a primeira mulher a ultrapassar as 100 mil cópias vendidas de um mesmo disco, em terras brasileiras, quebrando um tabu da época, no qual acreditava-se que mulher não vendia discos.

Ainda aos 16 anos, Clara trabalhava como tecelã durante o dia e a noite estudava, aos finais de semana ensaiava com o Coral Renascença, da igreja do bairro onde morava. Na mesma época conhecia o violonista Jadir Ambrósio, que encantado com a voz da jovem, passou a levá-la a programas de rádio onde Clara Francisca (seu nome “artístico” na época) se apresentava.

Em 1960 Clara Francisca vencia a etapa mineira do concurso A Voz de Ouro ABC com Serenata ao Amor de Vinícius de Morais e imortalizada por Elizeth Cardoso.

Na final do concurso, realizada em São Paulo, Clara ficou em terceiro lugar, dessa vez ela se apresentou com  música Só Adeus de Jair Amorim e Evaldo Gouveia. Na mesma época Clara Francisca vinha a se tornar Clara Nunes.

Em 1966 pela antiga gravadora Odeon (antiga subsidiária da EMI), Clara Nunes gravava seu primeiro disco, A Voz Adorável de Clara Nunes, na mesma gravadora Clara permaneceria durante toda sua carreira.

Capa do primeiro disco de Clara Nunes  Foto: Uol
Capa do primeiro disco de Clara Nunes
Foto: Uol

Daí em diante foram incríveis 16 discos lançados, até 1983, ano de sua controversa e repentina morte. Em 05 de março de 1983, Clara Nunes se internava para realizar uma cirurgia para retirada de varizes, porém a cantora teve uma reação alérgica a um dos componentes do anestésico utilizado.

Entre outras possíveis causas da morte levantada e especulada pelo público, em 02 de abril de 1983, aos 40 anos, Clara Nunes era declarada morta por choque anafilático.

Clara Nunes também era responsável pela desmitificação e da quebra de preconceitos para com as religiões de matriz africana.

Convertida a ubanda, Clara era influenciada pela sua fé em suas interpretações e composições. Músicas que faziam alusão a religiões africanas se tornaram clássicos da MPB e foram eternizadas.


Uma dica: Clara Nunes ganhou uma homenagem a altura de sua grandiosidade na voz da incrível Mariene de Castro no disco/dvd Um Ser de Luz.

Tagged with: