K. Michelle – More Issues Than Vogue

O R&B americano nos oferece nomes incríveis, que por sua vez lançam trabalhos cada vez mais primorosos e caprichados.

Muitos desses nomes são ainda grandes desconhecidos do grande público, talvez por se manterem fiéis a suas raízes, a seu estilo “nato” e, consequentemente não seguindo a maioria, acabam por serem esquecidos ou deixados de lado, o reconhecimento que há, é merecido e conquistado com grande esforço.

Talvez você que esteja lendo isso ainda não tenha ouvido algum trabalho da americana K. Michelle (se sim, faz muito bem!). A cantora lançou na última sexta seu terceiro disco, intitulado More Issues Than Vogue.

Imagine tudo que um disco de R&B tradicionalmente deve ter, provavelmente você vai encontrar tudo nesse novo trabalho da K. Michelle.

A princípio devemos chegar ao consenso de que seus discos devem ser “consumidos” por completo, ou seja, nada de ouvir uma faixa ou outra e achar que tá bom ou julgar disco devido a isso.

Ouvir esse disco por completo é entender um conceito, um trabalho, uma ideia aqui empregadas por Michelle – ao meu entender, obviamente. Ouvir faixas aleatórias não vão fazer você “sentir” o disco.

Infelizmente, devemos admitir que Michelle, de longe, não superou o Anybody Wanna Buy a Heart de 2014 – o que ainda não faz desse terceiro trabalho, ruim.

K. Michelle ainda peca por não compor a grande maioria do disco e não participar da produção de nenhuma. Porém reune um bom time de produtores e compositores do ramo – como T-Pain e Danja.

Grandes destaques na tracklist ficam por conta da ótima e quase impecável performance de K Michelle em todas as faixas. Absolutamente ela sabe como levar um disco inteiro e se adapta muito a qualquer canção, sua voz e arranjos combinam muito bem.

Destaque ainda para as faixas Not A Little Bit, If It Ain’t Love, These Man, Time e Rich.

Em suma, podemos dizer que o terceiro disco de K. Michelle é um bom disco de R&B e uma boa opção para os fãs do gênero, mas ao terminar o disco temos a sensação de que aqui falta algo.

Nota:70/100

Tagged with: