Lady Gaga em 10 vídeos

A Stefani Joanne Angelina Germanotta a nossa incrível e inesquecível Lady Gaga completa hoje, 28, sua trigésima primavera.

Dona de recordes, de turnês de enorme sucesso, singles vendidos aos montes e de uma mente criativa inigualável, Gaga movimentou a música pop em 2008 quando lançava seu primeiro trabalho, The Fame, daí em diante o sucesso foi crescente e explosivo.

Dona de uma legião fiel e crescente de fãs, dona de um globo de ouro de melhor atriz em série ou minissérie de drama, de seis Grammys, de duas das dez maiores turnês femininas mais rentáveis da história, entre outros números e conquistas.

Aqui reunimos 10 vídeos que marcaram a carreira de Lady Gaga e de certa forma a música pop como um todo.

Beautiful, Dirty, Rich

O primeiro single de Gaga foi a canção Beautiful Dirty Rich, que serviria como single promocional do disco The Fame. Em uma entrevista Gaga dizia que a canção e gravação do videoclipe (dirigido por Melina Matsoukas) serviria para a estrela “descobrir como as coisas eram”.

Just Dance

Seu primeiro single oficial.
Just Dance serviria como carro-chefe do primeiro disco da carreira de Lady Gaga. Gravada em parceria com Colby O’Donis e sob a produção de Akon (um dos responsáveis pelas primeiras gravações de Lady Gaga, assim como um de seus primeiros contratos) e RedOne (que também participaram da composição da música).

O single ultrapassou as 7 milhões de cópias vendidas em todo o mundo.

poker face

Aqui o segundo e mais icônico single do The Fame.
Poker Face rapidamente atingiu o primeiro lugar das paradas musicais espalhadas pelo mundo todo e virou sensação com seu refrão pra lá de pegajoso e um vídeo épico.

Marcou o nome de Lady Gaga nas principais premiações musicais e cravou de vez seu nome no hall de “divas pop”.

Paparazzi

Paparazzi viria a se tornar o quinto e último single dessa primeira fase do The Fame. O vídeo dirigido por Jonas Akerlund marcou época na música pop e ainda mostrava uma Lady Gaga mais dedicada na arte visual de seus trabalhos.

Em 13 de setembro de 2009, Lady Gaga estreava no palco do VMA se apresentando com seu até então novo single. O que viria a seguir então entraria pra história da premiação como uma das performances mais icônicas, quem não se lembra de Lady Gaga “sangrando” na performance?

bad romance

Aqui um dos vídeos que mais marcaram época e um dos maiores clássicos da música pop, Bad Romance marcava uma nova fase na vida artística de Lady Gaga.

Com todo um estilo surreal e diferente, o vídeo dirigido por Francis Lawrence bateu recordes no VMA de 2010 quando foi indicado a 10 categorias, vencendo 7 (incluindo o de vídeo do ano) e ainda venceu o Grammy de melhor vídeo musical.

telephone

Uma das parcerias mais lembradas na música pop!
Em 2009 Lady Gaga e Beyoncé se conheciam entre o VMA daquele ano e o evento Billboard Woman in Music, onde Beyoncé era eleita a mulher do ano e Gaga por sua vez, artista em ascensão.

Beyoncé logo a convidaria para participar de uma nova versão da música Video Phone do disco I Am… Sasha Fierce (2008) em troca, Lady Gaga a convidaria para participar na faixa Telephone.

A canção inicialmente foi composta para Britney Spears pro disco Circus, que por algum motivo não deu certo e voltou para as mãos de Lady Gaga, virando esse símbolo (e deixando a gente esperançoso por uma continuação até hoje).

alejandro

Roupas esquisitas, boatos de uma possível intersexualidade e até a roupa de carne era fichinha perto da polêmica que seria criada em torno de seu novo vídeo, Alejandro.

Claramente inspirado em Madonna (Vogue), Christina Aguilera (Not Myself Tonight) e até no épico musical Cabaret, clássico da Broadway. Trazia uma ousadia ainda pouco inexplorada por Gaga, tratando de forma controversa (dito por muitos como blasfêmia) símbolos religiosos.

born this way

Um hino à comunidade LGBT de todo o mundo.

A canção era o carro-chefe de seu segundo (ou terceiro se você contar o The Fame Monster como um segundo) disco, causou furor pela internet pela proximidade com o clássico Express Yourself de Madonna.

Pela sua letra de auto afirmação, auto ajuda e empoderamento, se tornou um clássico da música pop e um hino utilizado pela comunidade LGBT de todo o mundo, da qual Gaga é uma ativista.

judas

Polêmica com religião? Temos sim, de novo.

No vídeo de Judas, Norman Reedus (The Walking Dead) interpreta o personagem título (Judas Iscariotes) e Gaga, Maria Madalena e outros atores personagens históricos da bíblia como missionários “mais modernos” indo a Jerusalém, fazendo alusão ao caso de traição de Judas com Jesus.

Lady Gaga ainda foi duramente criticada pela Liga Católica por utilizar de tal forma de símbolos religiosos.

G.U.Y – An ARTpop film

Um vídeo injustiçado, de algumas músicas injustiçadas de um disco mais injustiçado ainda.

Falamos de G.U.Y, segundo e último vídeo da era ArtPOP. Depois da decepção com os resultados em Applause, a gravadora decidiu deixar de apostar em mais novos singles e vídeos de Lady Gaga nessa era, sendo assim a última cartada de Gaga foi com a música em questão.

No vídeo de pouco mais de 11 minutos em sua versão completa, Gaga decidiu reunir quatro músicas de seu disco em um único vídeo: ARTPOP, Venus, G.U.Y e ainda Manicure nos créditos.

menção honrosa

Após uma má fase pop e a derradeira com o ArtPOP, Lady Gaga decidiu experimentar novos ares quando em parceria com o mito Tony Bennett, gravou um disco inteiro de jazz contando com covers de grandes clássicos do gênero.

Performances que só firmavam o talento inestimável de Lady Gaga, aqui separamos um vídeo onde a cantora performa Bang Bang (My Baby Shot Me Down), um clássico da Cher.