The Lumineers: A espera valeu a pena?

Pra quem ainda não conheceu o som da banda: The Lumineers é uma banda de música Folk criada ainda em 2005, quando já realizavam alguns shows pelos Estados Unidos, em 2012 eles assinavam um contrato com a gravadora Dualtone Records, gravadora independente voltada ao Folk e Indie Rock, no mesmo ano então lançavam seu primeiro – e até então único – disco, auto intitulado.

Sendo assim, quatro anos se passavam sem que a banda de Nova Jérsei lançasse algum trabalho novo – nesse meio tempo até lançaram músicas inéditas para as trilhas da saga Jogos Vorazes – até que na última sexta, 08 de abril, quase que quatros anos exatos do lançamento do disco anterior, os The Lumineers lançam o disco Cleopatra.

A sonoridade no disco é levada a sério e traduz um sentimento ambíguo: se de um lado entendemos a coesão perfeita entre as músicas, sem nenhuma canção que destoa das outras, por outro sentimos, de longe, que estamos ouvindo quase a mesma canção durante todo o disco, e isso é um pecado grave.

Impossível não destacar o trabalho vocal perfeito do vocalista Wesley Shultz, se as músicas ganham personalidade e nos marcam ao ouvir o disco, boa parte é por conta do vocal de Wesley – obviamente não podemos desmerecer todo o trabalho artístico executado pela banda.

Como já disse antes, o disco comete um pecado grave: as músicas se parecem demais umas com as outras, mas ainda assim não poderia encerrar aqui sem destacar as faixas Gale Song My Eyes. Canções de tão simples se tornam complexas ao sentimento.

Sentimento aliás é o que dita os passos do disco, mais do que entender as músicas, devemos senti-las e aqui sentimos o disco e cada uma das canções, é repetitivo, é sentimental, é cru, é toda essa mistura de sentimentos, essa relação de “gostei e não gostei” que engloba todo o disco.

Se a espera valeu a pena? Valeu.
Poderia ser melhor? Poderia, sim.

Nota: 70/100

Ouça:

Tagged with: