A mistura que deu certo!

Formado pelo duo de irmãos Elliot e Natalie Bergman, Wild Belle lança segundo álbum Dreamland.

Nesse, ele continuam acrescentando pitadas de diferentes estilos ao som que os remete, assim como fizeram em Isle – o primeiro álbum.  Apesar de a mídia colocar o trabalho deles no gênero Indie, eu diria que pelas características diversas ele não se encaixa em um único estilo musical, o que torna o trabalho mais interessante e agradável aos ouvidos. Aliás, tenho escutado repetidas vezes, e não por necessidade.

O que li a respeito foi que eles cresceram numa família musical, a Elliot chegou a formar uma banda de afrobeat, chamada Nomo, antes de estudar Jazz na universidade. E ainda dizem que o formato de som deles engloba reggae, jazz, psicodelia e dance music. Wow! Soou interessante pra vocês?

Dreamland é um álbum que tem muito a oferecer. Definitivamente não se trata de um trabalho “alternativo” que anda na moda ultimamente. Tem algo ali que o torna um trabalho inesquecível. A faixa Losing You nos faz viajar entre sua melodia e letra, num transe gostoso e desesperador ela se tornou a minha preferida do álbum. Já Dreamland me lembrou a Adele e a Lana Del Rey, não sei bem o motivo… hahaha! Vão ter que escutar!

E o álbum segue num fluxo gostoso e indecifrável com a sequência embalada por Coyotes e Cannonball. Mas é em Giving Up On You que ele chega ao ápice!

Letra forte + batida boa + clipe em preto e branco = ❤

 

 

Desaceleram em It Was You (Baby Come Back To Me), mas não entediam. A balada é pegajosa e nada depressiva, atrevo até a pensar num clipe quente, bem quente…

Throw Down Your Guns traz a psicodelia e leveza em sua melodia e letra. Apesar de ser uma faixa mais pop, ela brilha por trazer uma letra inteligente, diferente do que o pop usual nos apresenta.

“Abaixe as armas, em nome do amor!”

Gostam da Santigold? The One That Got Away traz a pegadinha dela.

Esses momentos mais animados do Dreamland o tornam um álbum gostoso de ser escutado. A voz da Natalie é única mas, acreditem, misturaram as melodias da Adele com Lana Del Rey e talvez – eu disse talvez! – a Lorde. Deu no que deu!

Minhas faixas favoritas fecham o álbum: Our Love Will Survive e Rock And Roll Angel

Na primeira, ela começa cantando:

“Se o sol não brilhar, se o mundo estiver em chamas, se o oceano se levantar, nosso amor vai sobreviver!”

Nem sou muito desses mimimis, mas quando ela canta esse verso, eu consigo senti-la perfeitamente. E o clipe, hein?! Vamos dançar! Vamos celebrar o amor! Precisamos disso mais do que nunca!

E eles fecham brilhantemente com Rock And Roll Angel. A faixa que me faz querer repetir o álbum inteiro! Se você leu até aqui, irá sentir o mesmo que eu.

85/100