As mulheres do rock!

Atitude e originalidade fazem do rock um estilo musical único. Num mundo predominantemente dominado por mãos e vozes masculinas, não é de se admirar que algumas das mulheres que conseguiram adentrar no estilo sejam as mais invejadas do mundo. Elas transcenderam as barreiras do baixo, da bateria e da guitarra, elas gritaram e fizeram as suas vozes ecoarem mundo afora. Hoje, vamos falar de mulheres no rock.

Sempre preferi escutar o rock, mas por algum motivo o prefiro quando cantado por uma voz feminina. Entre as minhas preferidas estão:  Alanis Morissette, Pitty, Rita Lee, Janis Joplin, Courtney Love, e se lembrar de mais alguma, vou cita-la aqui pra vocês.

Todos nós sabemos que através do rock, muitas pessoas conseguem por pra fora aquilo que estão os incomodando, de forma mais agressiva e sem deixar de ser poética.

Prova disso é a Courtney Love, que casou com um dos roqueiros mais famosos e cobiçados da história do rock, mas conseguiu superar a fama de “mulherzinha de rocker” por conta de sua atitude bizarra e voz peculiar. Aliás, ela bem merece o posto que tem, sabiam que a Love foi expulsa da banda Faith No More por ser mulher? Sim. Eles queriam UM vocalista. Mas ela não desistiu por conta disso. De lá até os dias atuais, ela já vivenciou diferentes dramas em sua carreira, e atitude foi o que não lhe faltou, tanto que fazia as mesmas coisas que os rapazes de outras bandas faziam – se não fez coisa pior. E foi com a banda Hole, que ela ganhou notoriedade como cantora ao criticar, em um dos singles, a vida de celebridade.

 

Outra cantora que mandou ver no rock foi a Janis Joplin. A rainha da flower revolution tinha sido rejeitada pelos meninos de sua banda no começo de tudo, por não ser sexy e nem linda, se não fosse sua voz…

“A gente queria duas cantoras para fazer um som parecido com o do Jefferson Airplane. Mas quando a Janis chegou e começou a berrar, cantar, com aquele vozerio todo… a gente teve de mudar nossos planos. Ela foi nosso catalisador. Ela nos trouxe de volta à terra.” – Sam Andrew

“Eu explodi. Eu cantava só blues, quase puro, sem acompanhamento, às vezes só com a minha gaita. Quando senti aquele ritmo atrás de mim, e aquela eletricidade toda… cara, eu explodi.” – Janis Joplin

 

Já a canadense Alanis Morissette reflete em suas músicas toda a angústia vivida por uma mulher, e sempre esteve à frente de qualquer passo dado pela sua carreira.

alanis-morissette-jagged-little-pillSeu primeiro álbum lançado internacionalmente está entre os 200 definitivos no Rock and Roll Hall of Fame, é considerado um dos 10 melhores álbuns da década de 90, e o melhor álbum de rock alternativo lançado por uma mulher no século passado. Quando lançado, Alanis era considerada uma das mulheres mais influentes da música.

Se os homens podem cantar sobre as mulheres em suas músicas, Alanis falou sobre seus homens de forma única e direta:

“Você parece muito bem, as coisas parecem em paz. Eu não estou tão bem assim, achei que você deveria saber. Você se esqueceu de mim, Sr. Falsidade? Detesto incomoda-lo durante o jantar. Foi como um tapa na cara o quão rápido fui substituída. Você fica pensando em mim enquanto transa com ela?”

E se os grandes roqueiros do mundo se consolidam por tocarem instrumentos e mandarem ver nos palcos, nisso ela também não pecou!

 

A próxima teve seu álbum rejeitado por 23 gravadoras, e foi a primeira mulher a ter sua própria gravadora. Sua música “I Love Rock ‘n’ Roll”, presente neste álbum, é considerada a 28ª maior música de todos os tempos pela Billboard. Com vocês, Joan Jett!

 

E quem disse que no Brasil não tem mulher no rock? Tem sim! E eu trouxe duas representantes de peso e sem papas na língua.

Rita Lee inspirou tanto a Pitty, que a menina veio a se tornar a princesa do rock brasileiro. Aqui, a coisa vai além de apenas tocar, compor e cantar, elas entoam o coro de milhares de pessoas que estão dando as caras à tapa por um lugar ao sol. E defendem qualquer causa que precise ser defendida e que seja justa.

Sobre uma próxima cria feminina do rock nacional, a ainda novata falou logo:

“Acho que não devemos ficar com essa coisa de esperar o próximo salvador. As coisas têm seu tempo e isso, na verdade, não é tão importante. Tem várias meninas com trabalhos legais e eu não quero colocar esse peso nas costas de ninguém”.

Pois é, não é qualquer uma que pode cantar esse tal de roque enrow!!